terça-feira, 29 de novembro de 2016

O lado B(lack) da maternidade

As coisas não são perfeitas. Eu não estou sempre bem, as manas não se dão sempre a 100%, eu e o marido não estamos sempre na mesma sintonia ou com a mesma paciência. Hoje, é sobre o lado B da maternidade. Hoje, em que eu até me sinto bastante bem, tenho a capacidade para me exprimir sobre o outro lado, sobre aquele que me tira a vontade de escrever, de brincar, e me faz desejar que seja hora de ir dormir. A minha filha tem saúde e isso é o mais importante. É uma ressalva importante pois sei que falo "de barriga cheia", falo do que me incomoda numa vida que tem sido de alegrias e sorte, com 2 meninas espetaculares. Mas isso não tira que não me sinta frustrada, triste, exausta com várias coisas. Recomeço: a minha filha mais nova tem saúde, mas é uma criança irrequieta, agitada, permanentemente insatisfeita (2 minutos no colo, 2 no chão, 2 na cadeira), grita muito (principalmente na última semana), e usa o grito e o choro para exprimir todas as suas emoções (desde o excitação à frustração e cansaço). Ontem foi um "daqueles dias" em que todo o tempo que esteve acordada (dormiu 3 sestas de 20 minutos), esteve sempre aos gritos para ter colo, mudar de posição, comer, etc, e nada a deixava calma e satisfeita. E não me pareceu que fossem dores ou desconforto. Até porque quando pegamos nela ou fazemos algo diferente ela sorri e brinca durante esse bocadinho, até se cansar outra vez. Ontem, ao final do dia, já me custava ouvir os gritinhos dela e, mesmo assim, sorrir, brincar (com as duas), fazer jantar, arrumar as coisas e deitar as pequenas. Ontem foi um dia particularmente difícil, em que a mais velha também estava cansada e entrou em modo "choro" em coro com a mais nova e eu senti-me emocionalmente frágil, e pensei que facilmente entraria em depressão não fosse a minha estrutura psicológica ser bem forte e ter uma mãe e um marido que dividem as tarefas e me tentam aliviar o cansaço. A pequena continua a não querer chupeta e eu penso que muita da sua insatisfação vem daí. Tem uma necessidade enorme de chuchar que se nota diariamente sempre que encontra um pano, um braço , um boneco, em que a primeira coisa que faz é chuchar. Mas se lhe pomos uma chupeta na boca ela limita-se a trincá-la e rodá-la nas mãos como um brinquedo. Eu já não me queixo de ela continuar a acordar 3 vezes durante a noite ou de acordar definitivamente de manhã às 6 ou 6h30. Isso já se tornou rotina. O que me cansa é depois, durante o dia, não conseguir fazer nada, não conseguir vê-la satisfeita, ela chorar mais e gritar do que o que sorri ou está satisfeita, é ela fazer micro sestas que não me dão tempo de recuperar. É sentir-me uma mãe que não consegue deixar a sua filha feliz. Ao segundo filho já vamos menos enganados que para o primeiro, mas não achei que me fosse sentir assim. Achei que já dominava o suficiente para não sentir esta frustração. Eu sei que tudo passa e, daqui a uns meses, já será diferente, mas eu gostava que o fosse agora, que ainda estou com ela em casa de licença. Gostava de podermos aproveitar este tempo juntas, mais felizes e descansadas. E enquanto eu me queixo ela está a fazer uma coisa fora do normal: está a dormir há 1h!!!!

4 comentários:

  1. Já nem sei que te diga... a não ser que te compreendo tão bem... nem imaginas o quanto.

    ResponderEliminar
  2. É verdade. A maternidade tem coisas chatas sim! Pena ninguém, ou quase ninguém admiti lo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem tanto de bom como de cansativo e desafiante! E nem sempre estamos com energia para desafios ;)

      Eliminar

Deixa aqui uma palavrinha! Obrigada