quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Cortar o cordão umbilical

Ontem, por motivos profissionais, tive de me ausentar durante a manhã e depois durante parte da tarde, pelo que deixe a bebé com a minha mãe. Para mim até correu bem, não senti que me faltava algo, nem triste, nem ansiosa. Já para a bebé a coisa não foi tão tranquila, apesar de ter ficado com a avó, com quem está diariamente. Comeu bem, mas de quando em quando choramingava e olhava para a porta e ficava agitada. Custou-lhe bastante a dormir e depois de acordar e comer choramingava novamente. Falta da mamã? Falta da maminha? Não sei, mas é provável que tenha sido falta das duas! Quando cheguei à beira dela esfregava (literalmente) a carinha dela no meu peito, dava beijinhos e tentava chuchar a minha cara e, claro, tentou atacar de imediato as minhas maminhas! Também passou o restante tempo a choramingar sempre que eu saía de junto dela. 

A minha filha mais velha não tinha esta angústia de separação, mas acredito que aos poucos esta situação irá melhorar. Não deixo, no entanto, de ficar preocupada com a adaptação à escola! Só espero que seja mais ou menos tranquilo, pois com a mais velha fizemos a adaptação em 2-3 dias e foi muito fácil e sem grandes choros. Com esta não sei... a chupeta faz muita falta para ajudar! 

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Verão em Dezembro

Num banco de jardim a comer um gelado enquanto ela faz uma sesta. A aproveitar cada segundo deste tempo maravilhoso antes de voltar ao trabalho!


Coisas que não gosto na amamentação

Das coisas que menos gosto na amamentação é ter de usar soutien de amamentação e discos de amamentação e não poder usar determinadas roupas.

 Quanto aos soutien, mesmo comprando uns engraçados, não há muita escolha, não deixam o peito bonito e precisava de os renovar uma vez por mês devido à variação do tamanho da mama! Quando só amamentamos é indispensável usar um soutien destes pois é muito mais prático para estarmos "sempre" disponíveis para o bebé e para usar os discos de protecção sem que estes se notem. Mas a verdade é que começamos a ter saudades de usar roupa interior diferente e mais bonita. Quando comecei com os outros alimentos e reduzi o número de vezes que amamento, rapidamente foi a primeira coisa que quis fazer: deixar de usar estes soutiens. No entanto, como ainda estou em casa, a bebé ainda "pede" mama mais vezes que o expectável nesta altura pelo que só quando saio é que uso soutien normal. E é fantástico! Sinto-me mais feminina, mais sensual, mas depois deparo-me com um problema que nesta fase já não era suposto. Caso a minha filha se aproxime de mim ou comece a chorar e eu já não amamente há 3h, as minhas maminhas fazem logo o favor de começar a deitar leite espontaneamente (que visão) e acabo por me molhar. Logo até me posso livrar dos soutiens de amamentação mas os discos protectores, que abomino, continuam por cá! 

As roupas: pela mesma ordem de ideias tudo o que sejam vestidos, simplesmente não são práticos a menos que tenham abertura fácil na região das mamas! Partes de cima justas que não sejam fácies de abrir ou subir, também não são práticas. À primeira vista isto não é grande drama, mas eu sou uma pessoa que adora vestidos! E as saudades que tenho de andar à vontade de vestido sem pensar: e se tenho de dar mama na rua, como faço? 

Estas são as minhas principais implicações. Nada que não se resolva com paciência, mas que ao fim de algum tempo chateiam! 

sábado, 3 de dezembro de 2016

Carta do pai natal

Hoje, no nosso calendário do advento, era dia de escrever a carta ao Pai Natal! A miúda não descansou enquanto não tratou disso e quis ser ela própria a escrever. Ela foi-me dizendo o que queria escrever e eu fui ditando as letras ou, as que ela não sabe, escrevi num papel ao lado e ela copiou para a carta.

E o que saiu foi isto
"Querido pai natal, traz presentes para toda a família e para todo o mundo".

- filha, não pedes um brinquedo específico?
- não mãe. O pai natal que traga o que tem para toda a família. Para todas as casas. 

Muito orgulho da minha pequena, com coração tão grande! 


Afinal, ainda tenho neurónios !

É verdade quando se diz que durante a gravidez e no pós parto não pensamos direito, temos falta de memória, muito cansaço e raciocínio mais lento. Pelo menos eu fui sentindo isso em várias etapas desta jornada. E, tal como na outra gravidez, tenho receio de ter esquecido todas as minhas competências técnicas e teóricas para reintegrar de forma bem sucedida o mundo laboral. Eu detesto sentir-me insegura e, apesar de saber que após um dia de trabalho vai parecer que nunca parei de trabalhar, prefiro ir-me preparando e actualizando. Não só é uma necessidade (pessoal), como é algo que, incrivelmente, me está a dar mais prazer do que aquele que esperava. Falta-me um mês e meio para voltar ao activo e quero aproveitar sempre que possível para ir "trabalhando"um pouco. Ler, actualizar-me, relembrar, melhorar. Quero, e vou ser ainda melhor. Pois uma profissional que é mãe pode ser tão ou mais excepcional que qualquer outra/o, tentando conciliar isso com a vida familiar. 

Tardes de sábado no quentinho

É das coisas que melhor me sabe no outono/inverno: estar por casa nas tardes de fim de semana. A mais velha disse que queria ir dormir, pegou no boneco, deitou-se na cama e adormeceu. A mais nova anda aqui a saltar entre o colo dos pais, a ficar chata e a evitar dormir. Mas estamos cá, a sentirmo-nos em harmonia doméstica, a não ter grande coisa para fazer uma vez que no feriado adiantei as lavagens de roupa, e a poder dedicar-me a ler umas coisas o trabalho, que bem preciso de começar a entrar no ritmo. Apetecia-me fazer um bolinho, ou um pão diferente, mas preciso mesmo de ler umas coisas. E agora vou parar de escrever e começar a ler. Agora. 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Cenas de uma mãe

A capacidade de dividir a nossa atenção é algo que me fascina, principalmente quando o conseguimos fazer com mestria! Ora então vejamos: 
 - enquanto dou a mama à mais nova, a mais velha magoa-se e vem também para o meu colo
 - enquanto troco uma fralda faço também festas ao cão de peluche da mais velha, que aparece com ele ao colo a dizer "podes fazer festas que eu deixo!"
 - brinco com os dinossauros, e salvo barriguitas com os mesmos, enquanto carrego a mais nova ao colo e impeço que meta à boca tudo o que encontra
 - sorrio às palermices da mais velha, enquanto cozinho ou dou de comer à mais nova, apesar de só me apetecer fechar os olhos e dormir, ou então chorar quando me apercebo da desarrumação que reina.
  - continuo a ter de comer muitas vezes com a bebé ao colo! 

Podia continuar aqui de forma ininterrupta, mas não vale a pena! Porque no fundo, ser mãe foi um dos meus maiores desejos é uma das minhas maiores alegrias! E além disso isto é um treino para as competências no trabalho: como ser multitasker! 

A pensar que hoje é segunda feira

Só de pensar que me esperam 2 dias em que estamos todos em casa fico num misto de alegria, ansiedade e receio. Os fins de semana são fantásticos mas, por norma, termino muito mais cansada e, por vezes, são emocionalmente desgastante, principalmente para conseguir dar atenção à mais velha que está em casa a ver a mãe muito tempo com a bebé. Tem vindo a ser cada vez mais simples, de qualquer forma, quando a bebé não descansa tanto e está mais irritada, noto que a mais velha fica mais carente, e chega mesmo a manifestar que está cansada do barulho que a bebé faz! Espero que estes dois dias sejam tão bons como o feriado, que foi um dia familiar 5*! 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Hoje é só pérolas!

- mamã, como é que vamos comer se a mesa não está posta?
- pões tu? A mãe dá-te as coisas. 

No fim de colocar o que lhe dei
- mamã?! Não vamos comer sopa? Faltam as colheres 
- ah! Vamos, vamos. Esqueci-me das colheres!
- ai mamã, que cabeça de alho chocho!!

😂😂
Decididamente tenho de deixar de usar estas expressões com ela!! É como um boomerang! 

Vou rifar a miúda

Interrompe o meu banho, demorado (o único banho longo da semana!), para me dizer:
- mamã, já não há água! 
- foi o teu pai que mandou o recado?
- sim! 
E desatamos as duas a rir! Dorme-se pouco, mas sempre que possível, mantemos a boa disposição!

Criança esperta!

- maninha, eu adoro-te tanto! Mas não chores maninha, para os papás não ficarem cansados! 

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Para se perceber o porquê de eu andar cansada

Deitou-se às 21h, acordou às 00h30, às 3h30, às 5h30 e já não voltou a dormir. Sim, estou acordada desde essa hora. Só adormeceu novamente às 8h30 e, dormiu muito? Não. Dormiu 45 min. Pronto. Dá para perceber? Vou só ali tomar mais um café e já volto. 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

O lado B(lack) da maternidade

As coisas não são perfeitas. Eu não estou sempre bem, as manas não se dão sempre a 100%, eu e o marido não estamos sempre na mesma sintonia ou com a mesma paciência. Hoje, é sobre o lado B da maternidade. Hoje, em que eu até me sinto bastante bem, tenho a capacidade para me exprimir sobre o outro lado, sobre aquele que me tira a vontade de escrever, de brincar, e me faz desejar que seja hora de ir dormir. A minha filha tem saúde e isso é o mais importante. É uma ressalva importante pois sei que falo "de barriga cheia", falo do que me incomoda numa vida que tem sido de alegrias e sorte, com 2 meninas espetaculares. Mas isso não tira que não me sinta frustrada, triste, exausta com várias coisas. Recomeço: a minha filha mais nova tem saúde, mas é uma criança irrequieta, agitada, permanentemente insatisfeita (2 minutos no colo, 2 no chão, 2 na cadeira), grita muito (principalmente na última semana), e usa o grito e o choro para exprimir todas as suas emoções (desde o excitação à frustração e cansaço). Ontem foi um "daqueles dias" em que todo o tempo que esteve acordada (dormiu 3 sestas de 20 minutos), esteve sempre aos gritos para ter colo, mudar de posição, comer, etc, e nada a deixava calma e satisfeita. E não me pareceu que fossem dores ou desconforto. Até porque quando pegamos nela ou fazemos algo diferente ela sorri e brinca durante esse bocadinho, até se cansar outra vez. Ontem, ao final do dia, já me custava ouvir os gritinhos dela e, mesmo assim, sorrir, brincar (com as duas), fazer jantar, arrumar as coisas e deitar as pequenas. Ontem foi um dia particularmente difícil, em que a mais velha também estava cansada e entrou em modo "choro" em coro com a mais nova e eu senti-me emocionalmente frágil, e pensei que facilmente entraria em depressão não fosse a minha estrutura psicológica ser bem forte e ter uma mãe e um marido que dividem as tarefas e me tentam aliviar o cansaço. A pequena continua a não querer chupeta e eu penso que muita da sua insatisfação vem daí. Tem uma necessidade enorme de chuchar que se nota diariamente sempre que encontra um pano, um braço , um boneco, em que a primeira coisa que faz é chuchar. Mas se lhe pomos uma chupeta na boca ela limita-se a trincá-la e rodá-la nas mãos como um brinquedo. Eu já não me queixo de ela continuar a acordar 3 vezes durante a noite ou de acordar definitivamente de manhã às 6 ou 6h30. Isso já se tornou rotina. O que me cansa é depois, durante o dia, não conseguir fazer nada, não conseguir vê-la satisfeita, ela chorar mais e gritar do que o que sorri ou está satisfeita, é ela fazer micro sestas que não me dão tempo de recuperar. É sentir-me uma mãe que não consegue deixar a sua filha feliz. Ao segundo filho já vamos menos enganados que para o primeiro, mas não achei que me fosse sentir assim. Achei que já dominava o suficiente para não sentir esta frustração. Eu sei que tudo passa e, daqui a uns meses, já será diferente, mas eu gostava que o fosse agora, que ainda estou com ela em casa de licença. Gostava de podermos aproveitar este tempo juntas, mais felizes e descansadas. E enquanto eu me queixo ela está a fazer uma coisa fora do normal: está a dormir há 1h!!!!

Quem diz o que quer...

Eu a meter-me com a minha filha mais velha:
- vá filha, diz à mamã : mamã querida do meu coração, és a minha pessoa favorita, eu adoro-te! 

O pai não gosta da conversa e decide intervir: filha, o papá é que é o favorito, não é?! Diz ao papá que gostas dele!

A minha filha dá a única resposta possível com 2 país loucos
- ai! A minha pessoa favorita é a maninha! 

Pronto! Mais uns pontos para a relação das manas!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

O que eu anseio por uma sesta!

Anseio por uma sesta, dela!! A sério, está cheia de sono mas resiste como um adulto. E eu hoje preciso mesmo de algum descanso mental e físico. Sou uma privilegiada por poder ainda estar com a minha filha em casa, mas há dias, momentos, em que preciso de uma pausa, uns minutos para mim, e ela não facilita muito por lhe custar tanto dormir. Ao fim de tanto tempo com ela acordada, acabo por não saber bem como a entreter, afinal só tem 6 meses e, uma das suas actividades, deveria ser dormir! Já nem falo em fazer coisas que preciso como tarefas domésticas, ou coisas do meu interesse. E de pensar que ainda tenho a sopa dela para fazer, mais a nossa, o jantar e ir buscar a mais velha, até fico tonta! 

Sabem quando acordamos sem saber se chegamos a dormir?

Hoje estou assim... A bebé voltou a mamar de 2h30-2h30, e acordaram as 2 às 6h. Juro que estou completamente zombie! Às 6h levantou-se o meu marido e foi com elas para a sala para eu descansar, mas não consegui voltar a dormir profundamente. Ai, mais um dia longo com humor de cão..

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Nova imagem do Blogger

Estou amuada! Não gostei da mudança do Blogger. Adorava na página inicial ver um resumo de tudo: se tinha comentários novos, lista de leitura, etc. Provavelmente vou-me adaptar rapidamente mas, para já, não gosto.

Cada um sabe de si, mas acho muito mal!

Hoje, quando fui levar a mais velha à escola, estacionou atrás de mim um pai de um miúdo dos seus 2 anos, num carro de 2 lugares, com o miúdo sentado no banco da frente. Qual o problema, perguntam vocês? O problema é que o miúdo não vinha sentado numa cadeirinha, vinha mesmo no lugar do passageiro com o cinto de segurança do carro. Acho mal. Nem que sejam 100 metros! E no banco da frente, ainda pior! É completamente proibido andar com as crianças sem dispositivo de segurança! É por em risco a vida dos nossos seres mais preciosos! E não consigo conceber, que nesta altura alguém no seu perfeito juízo faça isso! 

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Ferramentas de trabalho 2017

Para que o ano comece bem e esta família ande sobre rodas no meu regresso ao trabalho. 


Álbum de fotografias

A hercúlea tarefa de fazer os álbuns fotográficos está a deixar-me com os nervos à flor da pele. No ano passado comprei 2 álbuns digitais para oferecer aos avós e, de oferta com cada um deles, tínhamos direito a fazer outro álbum gratuitamente. O prazo para fazer os álbuns de oferta era até Setembro deste ano e, obviamente, achei que de Dezembro de um ano a Setembro do seguinte teria mais que tempo. Acontece que não foi isso que sucedeu. Vai-se adiando, há sempre outras coisas mais urgentes, não apetece perder o tempo livre de volta do computador, sei lá! 1000 justificações para deixar passar 1 ano à velocidade da luz. Assim paguei um prolongamento das datas que me permitiam fazer os álbuns até início de Dezembro. O único problema é que faltam 9 dias para o início de Dezembro e não tenho nenhum dos álbuns feitos. Mas porque é que somos assim? Porque é que enrolamos as tarefas que acabam por ser realmente importantes para nós? Estou a ver que vou ter de fazer noitadas para acabar isto!

Gosto de dias assim!

O dia começou bem. Acordei 10 minutos antes da 7, despertada pela mais velha. dei-lhe o leite e fui-me arranjar, terminei de lhe dar o pequeno almoço e ajudei-a a vestir. Depois tomei o meu pequeno almoço e ainda não eram 8h e já estávamos mais que prontas! Não houve birras, tudo rolou, e a pequena dormiu ate agora às 8h20, tendo apenas acordado uma vez durante a noite! É o início de dia quase perfeito para um dia da semana. Melhor só se eu conseguisse fazer o meu exercício das 6 às 7. Isto vai lá, ai vai, vai!

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A minha filha não gosta de papa, e agora?

Pois é. A minha filha começou a diversificação alimentar e adora sopa! Adora tanto, que abre a boca e atira-se para a frente para chegar à colher e ao prato, comendo a sopa em 5 minutos sem se sujar. Já da papa não podemos dizer o mesmo. Come uma colher, ou duas, e estremece. Depois, faz o que lhe é já habitual quando não quer comer mais, encerra a boca e inclina a cabeça para baixo. E ali não entra mais nada. Quando lá entra a 3ª colher de papa, ela acumula a mesma na parte anterior da boca, a formar um lago, e acaba por se babar toda só para evitar engolir. A fruta vai indo: maçã e pêra não delira, mas come qualquer coisa, já dióspiros (sim a médica mandou dar, uma vez que está na época deste fruto) come com a mesma vontade que a sopa. Agora preciso aqui de uma solução para a papa. Obviamente vou experimentar outro sabor (comprei Nutriben crescimento (>6 meses) básica, que era a favorita da minha filha mais velha), mas cheira-me que não vou ter sucesso!! Sugestões?

domingo, 20 de novembro de 2016

Fim de semana = descanso?! Ahahahahahahaha

Ora que todos nós sabemos que o fim de semana, para quem tem crianças pequenas, não é um momento de descanso. Para quem tem crianças pequenas como as minhas pulgas eléctricas, ainda menos descanso tem! Pois a mais velha brinca e pede companhia para a brincadeira, todo o santo dia! Quase não liga à tv e a única tecnologia à mostra nesta casa são os telemóveis dos pais que ela não pede (porque quando pede não tem sorte com a resposta!). Por isso brinca. E brinca. E brinca. E salta entre brincadeiras: ora joga à bola, ora brinca com os carrinhos, ora brinca com puzzles, olha agora já sou mamã das bonecas e depois vamos para as pinturas, e a seguir o dominó, numa infindável lista de brincadeiras saudáveis, mas que deixam estes pais perto de um colapso e constantemente a tentar estimular que ela vá brincando alguns bocados sozinha (coisa que já vai fazendo!). Hoje, por exemplo, conseguimos uns minutos de descanso no sofá enquanto ela transportava os bonecos do presépio nas costas do seu tiranossauro rex, enquanto dizia: "eu salvo-te, anda!". A mais nova premeia-nos com as suas micro sestas e com os seus gritinhos bem agudos (proeza que aprendeu recentemente mas que se tem esforçado por aperfeiçoar), saltando de colo em colo, e aguentando 5 minutos de cada vez no chão a brincar. Pronto. É isto. Amamos as nossas crias até ao tutano, mas chegamos ao domingo à noite a precisar de descanso. E eu estou a escrever isto enquanto penso: foi cansativo? Foi. Mas este fim de semana caseiro esteve muito perto daquilo que eu considero perfeição familiar. Tenho o corpo cansado mas o coração cheio.

sábado, 19 de novembro de 2016

Então e a minha vida culinária

Pois é, tal como referi, hoje comecei por fazer um pão de alfarroba divinal (mesmo!), seguido de brownies saudáveis e, para o almoço, bacalhau com broa. Para minha tristeza os brownies foram um autêntico flop, muito por culpa da forma onde coloquei a massa que era demasiado grande e a massa ficou tão fina que acabei por deixar queimar!! Não costumo ter muitos destes desaires mas, de vez em quando, lá acontece. Já o bacalhau com broa do almoço estava, de facto, delicioso! Uma das características dos meus assados, principalmente quando os faço só para nós, é que são repletos de legumes, reduzindo assim no azeite e outras especiarias para dar sabor. Os legumes assados juntamente com a proteína dão um gosto especial ao molho, tornando-o rico e viciante (e dá imensa vontade de "limpar" o prato com pão no final!!).

Antes de ir ao forno.

Pão de alfarroba 



sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Projecto culinária!

O fim de semana está aí e promete mau tempo, pelo que vamos ficar por casa a fazer as nossas vidas. Cozinhar será, sem dúvida, uma das actividades escolhidas! O que tenho pensado: um belo pão de alfarroba, uns brownies saudáveis e, provavelmente, bacalhau com broa! Só me faltam umas bolachas saudáveis, mas ainda não escolhi quais as eleitas! 

O que oferecer a uma miúda de quase 4 anos?

Claro que, estando a árvore montada, o assunto Natal e prendas está sempre presente na nossa rotina. Com 3 anos e quase 9 meses já gosta de ver os anúncios de brinquedos e, consequentemente, pede um ou outro. Também é óbvio que estes desejos mudam diariamente. Assim, quais são as coisas que, apesar de não "pedir", sabemos que ela provavelmente iria gostar de receber (atenção que não quer dizer que vá receber todas estas coisas!!!):

 - Uma cestinha para colocar na bicicleta para poder levar as bonecas com ela.

 - Legos - cá por casa optamos por um dos avós oferecer uma caixa de Lego classic com muitos legos básicos para construções da sua imaginação. Mas na verdade, qualquer caixa de legos faz sucesso.

 - Dinossauros - é rapariga, mas é indiferente - adora dinossauros, carrinhos, espadas, tal como gosta das bonecas.

 - Um guarda chuva (ou galochas) - a miúda delira.

 - Um microfone com pé para ela poder dar os seus espetáculos.

- Instrumentos musicais - para os pais é que são prendas péssimas! A minha, este ano, pediu uma bateria, que como é óbvio não vai receber! Lamento.

- Jogos giros que permitam interação familiar (há pais que não apreciam, mas nós este tipo de jogos gostamos): loto com roleta (a ultima aquisição cá de casa que ainda não lhe mostramos), jogo da glória (ela adora), dominó, jogos tipo "tragabolas".

- Lápis, marcadores e livros de colorir e actividades (ela adora!)

- Plasticinas (para os pais corajosos! Aproveitem e comprem uma toalha plástica para forrar o local da brincadeira!!)

- Puzzles vários

E pronto, são algumas das ideias que eu tenho a certeza que ela iria gostar e que, outras crianças da mesma idade também! 

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Eu rifo esta miúda!

Ao telefone com os avós:
- avô, nós já temos a árvore de natal! 
- aí já? Olha, nós ainda não montamos a nossa. 
- vocês ainda não têm árvore de natal? A sério?! Estão um bocado atrasadinhos, não?! 

Hoje é dia de almoçar com o meu marido

Marido a trabalhar perto, pequena que já come bem a sopa: bebé em casa da avó, e almoço a dois! Tão bom! 

Roupinha com inspiração Natalícia!

Não sou nada dada a conjuntivos de roupa a combinar entre as manas, principalmente porque financeiramente não justifica, uma vez que a pequenina só "aguenta" a roupa 3-6 meses, e a da mais velha dá para bem mais de um ano! Além disso a mais nova, por ser menina como a mana, tem imensa roupa da irmã (grande vantagem de ter dois do mesmo sexo!), e acabo por me inibir em comprar-lhe muitas coisas, pois quase não usa a roupa. Mas ontem entrei numa MO e tinha roupinha de Natal muito amorosa. Desde camisolas e vestidos de malha, calções, camisas e vestidos de flanela, pijamas, etc. E tudo coisas muito giras. Não resisti e, cá para casa vieram um vestido para a bebé e uma camisa do mesmo modelo para a mana mais velha, com um padrão de xadrez que adoro! Vão ficar giríssimas vestidas de igual! 

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Nós já temos o nosso, e tu já tens o teu?

Por uma boa causa, um livro que vale a pena!